Vitória-régia.

Hoje o post será sobre uma planta linda, majestosa: Vitória-régia, também conhecida como Jaçanã,  a maior planta aquática do mundo e que tem a maior flor das Américas. Essa planta  pertence a família: Nymphaeaceae, é encontrada no Brasil, Bolívia e Guianas, originária da região equatorial da bacia do Rio Amazonas, Amazonas. Possui uma grande folha em forma de círculo, que fica sobre a superfície  da água, e pode chegar a ter até 2,5 metros de diâmetro e suportar até 40 quilos.

Vitoria-Regia_Amazonia

Sendo uma planta exclusivamente aquática, a vitória –régia tem folhas flutuantes e possuem canais de escoamento e duas fendas laterais, encaminhando a água das chuvas para o lago, e quando jovem, possui o formato de coração.

As flores da vitória-regia abrem somente a noite, apresentam perfume adocicado, podem ser vistas durante o verão, porém somente por 48 horas. No primeiro dia da sua floração apresenta coloração branca, e passa a rósea no segundo dia devido  a  polinização, feita por besouro que fica preso até o dia seguinte, pois a flor se fecha durante a noite.

-Plantas-Aquáticas

De acordo com alguns estudos,  a semente, batata, palmito e a pétala da flor, quase toda a estrutura da vitória-régia poder comestível.  A folha tem propriedade laxante e cicatrizante e o suco extraído da raíz tem a capacidade de colorir e fortalecer os cabelos. Seu reservatório energético é rico em amido, ferro e sais minerais, que pode ser utilizado como alimento.

Fonte: inpa.gov.br

Tudo de bom para você!

Forte abraço e até mais! 🙂

Anúncios

28 comentários sobre “Vitória-régia.

  1. Olá!
    Estou te seguindo, porque vi a menção de seu Blog do Jauch [https://eduardojauch.blog/]. Parabéns pelo seu Blog, gostei bastante! 🙂
    A Vitória-régia é uma planta que mora em nosso imaginário, não é mesmo? Quantas histórias li em minha infância, onde príncipes que viraram sapos e vice-versa moraram sobre ela?!
    Me surpreendi ao saber que Jaçana e Vitória-régia são a mesma coisa!!!
    Nunca liguei a pessoa à fisionomia – como dizem por aqui! kkkk
    Adorei o texto! 🙂

    M.

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Marcelo, tudo bem? Obrigada!… Há muitos anos, em uma tribo indígena, a lua era chamada de Jaci e era considerada uma deusa para aquele povo. Segundo a história, quando ela aparecia durante a noite, enchia de luz o rosto das índias virgens da aldeia e beijava o rosto de cada uma delas. Essas índias eram chamadas de cunhantãs moças. A lua quando se despedia, escondendo-se atrás da montanha, levava consigo as moças da tribo que ela mais gostava e as transformavam em estrelas. Uma dessas jovens, a índia guerreira Naiá, sonhava em encontrar a lua, mas ela era alertada pelos mais velhos da tribo, que diziam que no encontro, ela perderia todo o sangue a toda carne e se transformaria em luz, indo para o céu, mesmo assim, Naia continuava querendo ser a escolhida da lua, até que um dia, enquanto fazia essa cavalgada durante a noite, Naiá parou na beira de um rio para beber um pouco de água e na superfície da água conseguiu enxergar a imagem da lua. A índia, então, não pensou duas vezes, se jogou dentro da água para encontrar-se com a lua e acabou se afogando. rs… Que lenda hein?! Obrigada pela visita, felicidades a vocês, abraço! 😀

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s